Uma grande carreata convocada pela Associação Empresarial de Ourilândia do Norte (AEON) reuniu um grande numero de carros e motos e mais de mil pessoas. As manifestações, segundo o presidente da AEON, Mauri, temo objetivo de reunir imagens para juntar à defesa da Vale no Judiciário, demonstrando que a população é contra a paralisação das atividades da Onça Puma e que isso traria um prejuízo muito grande ao município.

Apesar da suspensão da ordem de fechamento da indústria da Mineração Onça Puma, por liminar do desembargador plantonista no último fim de semana no Tribunal Federal da 1ª Região (TRF1), João Batista Moreira, a cidade de Ourilândia do Norte continua numa espécie de vigília em defesa do empreendimento de exploração de níquel pertencente à empresa Vale. Depois da interdição da PA-279, na manhã de ontem (9), empresários, trabalhadores e representantes da classe política participaram há pouco de uma carreata pelas ruas da cidade, que terminou em um ato público contra a paralisação das atividades da mineradora, que ainda está acontecendo neste instante (19h40).

Segundo Mauri, a interdição da rodovia na manhã desta ultima segunda-feira já surtiu efeitos práticos, levando o Ministério Público Federal (MPF) a chamar o prefeito Romildo Veloso e Silva (PSD) e o Jurídico da prefeitura e da Vale para uma reunião na manhã de hoje (10). Até agora, não se sabe o teor do que foi discutido na reunião e que resultados práticos podem vir dessa conversa. Mas, na avaliação do presidente da entidade empresarial de Ourilândia, só a convocação da prefeitura e da Vale já foi um avanço.(Com informações de Amauri)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>