Salve a terra entre matas e montes
Onde o céu é mais limpo e azulado
A palmeira que orgulha a Amazônia
Vi crescer neste chão desbravo

Como a terra de filhos libertos
Com ornamentos de matas e relvas
Cresce livre, robusto e precoce
O menino peralta da selva

Tucumã da liberdade
Nossas vozes te querem exaltar
E num canto de esperança
Este berço de herói embalar

Braço forte e triunfo regaram
Essa flor que viçosa se abriu
De ousadia, vitória e bonança
Foi a história que o tempo remiu

Filhos teus a plantar liberdade
Vislumbrando um futuro feliz
Embalados em um sonho bravio
Que tem pátria, tem alma e raiz

Tens no seio riquezas guardadas
Expressando infinito valor
Que assegura o direito à partilha
Espontânea oferenda de amor

No teu brilho haja paz e justiça
Nos teus campos perfume de flor
Pelas sendas da tua história
Reine fé, esperança e amor.

FOTOS : Gabriel Alves e Renildo Ferreira

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>