A Justiça do Pará acatou, neste domingo (10) pedido de tutela de urgência requerida pela Procuradoria-Geral do Estado do Pará (PGE) para bloquear R$25,2 milhões de ativos financeiros da empresa SKN do Brasil Importação e Exportação de Eletroeletrônicos LTDA., e seus sócios, que forneceu ao Estado do Pará os respiradores comprados da China para tratamento da Covid-19. O valor, segundo a PGE, já havia sido pago pelo Estado e corresponde a 50% do custo dos respiradores – R$50,4 milhões. O G1 ainda tentava contato com os investigados, até a última atualização desta matéria.

Os 152 equipamentos, que chegaram em Belém na última segunda, apresentaram problemas durante instalação e terão de ser devolvidos, segundo o governo estadual. Os respiradores já haviam sido enviados para hospitais de campanha e de referência em Belém e interior do estado.

De acordo com a decisão do Tribunal de Justiça do Pará (TJPA), foi apresentado pelo Governo um acervo documental, indicando que “a empresa ré entregou aparelhos respiradores distintos daqueles objetos da contratação efetiva pelo Estado do Pará, e que são inservíveis à finalidade para o qual foram objeto da aquisição”, ou seja, não servem para o tratamento da Covid-19.

A decisão também restringiu a circulação sobre veículos da empresa, bem como dos sócios, e suspendeu o passaporte das pessoas naturais dos sócios da empresa, o que foi comunicado à Polícia Federal, em Belém.

Por Taymã Carneiro, G1 PA