A Polícia Civil prendeu em flagrante na quinta-feira (18) dois homens suspeitos de praticarem transações ilegais no sistema do Departamento de Trânsito do Pará (Detran) em Ourilândia do Norte. Segundo as investigações, eles já teriam causado um prejuízo de cerca de R$ 130 mil.

De acordo com a Polícia Civil, um dos suspeitos é o gerente da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) do município. O segundo preso foi contratado por ele para atuar ilegalmente no órgão.

A Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores do Pará (DRFRVA/DRCO), em conjunto com o Núcleo de Inteligência do Detran, apurou que a dupla fez mais de 2.500 transações. O gerente inseria dados falsos no sistema do Detran e realizava vistorias de outra unidade federativa, sem ao menos os veículos passarem pela vistoria presencial no órgão de trânsito.

“No momento da prisão, Marcondes também foi questionado pelos policiais sobre sua função no órgão. Momento em que desvendou-se que o mesmo foi contratado de maneira informal por Renildo para trabalhar como atendente no balcão”, explicou o delegado Temmer Khayat, diretor de Polícia Especializada.

O suspeito confirmou que não tem vínculo com a administração pública e que teria aceitado o convite de maneira verbal. Ele foi preso por usurpação de função pública.

“Em depoimento na delegacia de Polícia, ele disse que cobrava propina para ‘agilizar’ processos de transferência de propriedade e licenciamento anual de veículos, variando entre R$ 30 a 100,00 por veículo automotor, tudo isso com a gerência de Renildo. Ele informou também que, em muitos caos há participação de despachantes, onde os mesmos levam diariamente demandas para que os envolvidos pratiquem tais ações”, informou delegado. G1/PA