A construção da Unidade Básica de Saúde Fluvial (UBS) de São Félix do Xingu, unidade que foi criada para atender a população indígena e ribeirinha no município, está em fase final de conclusão. De acordo com a empresa responsável, a unidade está completa e já passou por testes de flutuabilidade, mas ainda falta a instalação dos equipamentos médicos e adaptações para garantir um melhor atendimento.

A unidade está sendo construída em Manaus, capital do estado do Amazonas, por uma empresa especializada também responsável pela construção de diversos outros barcos, e foi iniciada no final de 2018. A UBS terá capacidade de atender até 4 mil pessoas que vivem em regiões próximas ao fluxo do Rio Xingu.

De acordo com o Governo Federal, foram destinados cerca de R$ 85 milhões para a construção de barcos que devem beneficiar diversas localidades dentro da Amazônia Legal. Conforme dados fornecidos pelo Ministério da Saúde, a melhora nos atendimentos básicos significa uma evolução na produtividade do combate às endemias. “O Ministério da Saúde tem como prioridade o fortalecimento da Atenção Básica, com capacidade para solucionar até 80% dos problemas de saúde da população, o que ajuda a desafogar os atendimentos em hospitais gerais e instituições habilitadas para serviços de média e alta complexidade”, afirmou o órgão.

Caso o município cumpra as exigências do Governo Federal, o Ministério da Saúde fornece até R$ 90 mil para custeio mensal para a unidade, que deve ter, pelo menos, um médico, um enfermeiro, um técnico de saúde bucal e um bioquímico ou técnico de laboratório. Além disso, o município tem a possibilidade de adicionar outros dois profissionais da área da saúde que possuam nível superior. Informações da ASCOMSFX